O caminho

O único caminho de poesias do mundo

Extreme Sports

O Caminho

O Caminho de Cora Coralina é uma trilha de longo curso com aproximadamente 300 quilômetros de extensão, que cruza as cidades históricas de Corumbá de Goiás, Pirenópolis, São Francisco de Goiás, Jaraguá e a Cidade de Goiás, abrangendo também os municípios de Cocalzinho de Goiás, Itaguari e Itaberaí. Idealizado em 2013, o projeto teve como propósito interligar os municípios, povoados, fazendas e atrativos, passando por antigos caminhos, numa rota turística para Caminhantes e Ciclistas.

Para a definição do traçado tomou-se como principais fontes documentais o relato de viagem “A Jornada a Goiás de Luís da Cunha Menezes, desde Salvador, em 1778”, quando este veio empossar-se no Governo da Capitania de Goiás; os livros “Viagem à Província de Goiás” e “Viagem ao Interior do Brasil” dos naturalistas Auguste de Saint’Hilaire e Johan Emanuel Pohl respectivamente, que passaram por esses caminhos entre 1818 e 1821; “Viagem às Terras Goyanas”, de Oscar Leal, extraordinário relato escrito nos anos 1880; e o “Relatório Cruls” – Relatório da Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil que explorou, entre 1892 e 1893, uma ampla região do entorno do Distrito Federal para definir a localização da nova Capital do Brasil.

Foi, também, de fundamental importância para a definição do traçado as informações obtidas de moradores locais que, em alguns casos, acompanharam a equipe de pesquisa de campo nas expedições exploratórias em busca de locais citados nos documentos, ou em longos bate-papos onde a tradição oral difundia fatos e feitos ocorridos na região.

Em 2017 foi retomada a implementação do Caminho de Cora Coralina pela Goiás Turismo – Agência Estadual de Turismo que ofereceu apoio em sua estruturação através do Programa Experiências na Natureza, viabilizando a inclusão dos Parques Estaduais e outras Unidades de Conservação no roteiro, mobilizando as comunidades locais e dando os primeiros passos para a organização da Associação Caminho de Cora Coralina. Ao mesmo tempo o ICMBio projetava os caminhos de longo curso pelo Brasil afora, contemplando o Caminho de Cora como a parte mais ocidental do Caminho dos Goyazes que ligará a Chapada dos Veadeiros a Cidade de Goiás num roteiro de mais de 1000 km.

Hoje o roteiro Caminho de Cora Coralina encontra-se consolidado, atendendo a caminhantes e ciclistas com pousos e alimentação ao longo de todo o seu percurso, tem uma associação formalizada com mais de 30 empreendedores e conta com mais de meia centena de colaboradores e voluntários que oferecem apoios em diversas áreas, cumprindo a missão de transformar o Caminho de Cora Coralina num roteiro de história, natureza, gastronomia e poesia. Um Caminho de Encontros!

Municípios

  • Corumbá de Goiás

  • Cocalzinho de Goiás
  • Pirenópolis
  • São Francisco de Goiás
  • Jaraguá
  • Itaguari
  • Itaberaí
  • Cidade de Goiás

Povoados

  • Corumbá de Goiás

  • Cocalzinho de Goiás
  • Pirenópolis
  • São Francisco de Goiás
  • Jaraguá
  • Itaguari
  • Itaberaí
  • Cidade de Goiás

Unidades de Conservação

  • Parque Estadual dos Pireneus

  • Geoparque dos Pireneus
  • Parque Estadual da Serra de Jaraguá

  • APA da Serra Dourada
  • Parque Municipal da Estrada Imperial

Cora Coralina

Cora Coralina

Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, nasceu a 20 de agosto de 1889, na cidade de Goiás, antiga capital do Estado. Aos 14 anos de idade criou o pseudônimo Cora Coralina, que segundo a autora significa “coração vermelho”. Em 1911 ao lado de seu futuro marido, Cantidio Tolentino de Figueiredo Bretas, deixou para trás família e a sua Goiás natal para viver em São Paulo. Teve 6 filhos e passou 45 anos de sua vida fora. Retorna a antiga Vila Boa em 1956, em busca de suas raízes ancestrais. Publica o seu primeiro livro “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias mais”, aos 76 anos de idade. Mais tarde, dois livros publica: “Meu Livro de Cordel” e “Vintém de Cobre – Meias Confissões de Aninha”. Após sua morte em 10 de abril de 1985, foram lançadas mais 13 obras.

Cora Coralina, “professora de existência” na voz de Oswaldino Marques, desafiou o tempo, marcando-o com sua grandeza, sua alma aliada de poeta, vivendo o presente, mas de olho no futuro. Dona de uma das líricas singulares da literatura brasileira, de um estilo reconhecível, absolutamente seu.

Cora Coralina é aquela que busca, na intimidade do Ser, o substrato da vida e sensível colhe como matéria poética, as mazelas do mundo os tipos inúteis que vivem à margem da sociedade, colocando-se ao mesmo nível deles. É a porta da terra, do telúrico, do social, é a musa do cerrado.

Snowboarding
share the passion

What People Are Saying

Jonson Trimph

Praesent posuere, risus nec aliquet  lorem diam tempor est vitae finibus tortor erat sit amet dolor. Sed ipsumus neque congue biats con quatasy venenatis augue.

Jonson Trimph
Sierray Williams

Praesent posuere, risus nec aliquet  lorem diam tempor est vitae finibus tortor erat sit amet dolor. Sed ipsumus neque congue biats con quatasy venenatis augue.

Sierray Williams
Alex Haysman

Praesent posuere, risus nec aliquet  lorem diam tempor est vitae finibus tortor erat sit amet dolor. Sed ipsumus neque congue biats con quatasy venenatis augue.

Alex Haysman